Marketing de Influência: investimento que compensa

Marketing de Influência

A Internet está cada vez mais acessível e popular no país e uma das principais finalidades de se estar conectado, para o brasileiro, é o uso das redes sociais.

Segundo levantamento divulgado pela Social Media Trends, mais de 96% dos usuários brasileiros de Internet estão em pelo menos uma rede social. Alguns desses usuários alcançam muito mais audiência e influência do que os demais.

São os influenciadores digitais, cuja atuação profissional e bons resultados que geram, abriram caminho para a ascensão do marketing de influência.  

O raciocínio é simples: se os consumidores e potenciais compradores de sua marca estão participando das redes sociais, você não pode estar ausente desse universo. É preciso se comunicar com o público nas redes falando a linguagem dessas plataformas.

Por isso, fazer o tradicional marketing direto, com anúncios de produtos e serviços, não basta. É invasivo e irrita a maioria dos usuários, interrompendo a navegação por outros conteúdos de interesse.

Resumindo, se torna ineficaz. Aí é que entra o marketing de influência, por meio dos influenciadores digitais.

A mídia do marketing de influência

Detentores de uma comunidade bastante numerosa de seguidores, os influenciadores têm a confiança de seus fãs para informar, opinar, dar dicas e fazer sugestões em suas redes sociais.

Eles recomendam o que comprar e o que não comprar com um poder maior do que as mídias convencionais, afinal costumam ser mais ouvidos e acreditados do que elas.

Eles são uma mídia muito poderosa. Sim, os influenciadores digitais também são mídias. As novas mídias, as mídias do momento.  

Um investimento que compensa

Felizmente, a mídia influenciadores digitais é mais barata do que as tradicionais, o que colabora sensivelmente para o sucesso do marketing de influência. Não por acaso, as marcas já consideram o investimento nesse segmento no contexto do planejamento de budget.

De acordo com pesquisa realizada pela agência global Relatable, 8 em cada 10 empresas têm orçamento destinado exclusivamente para marketing de influência neste ano de 2019.

Mas não basta investir financeiramente. É preciso se capacitar para executar de modo satisfatório. Quem alerta é especialista no assunto.

Ouvido pela ADS, o CEO e Fundador do Grupo Comunique-se, que desenvolveu a plataforma Influency.me, disse que “o maior inimigo do marketing de influência é fazer mal feito. E muitas agências ou mesmo departamentos internos acham que sabem fazer, mas não sabem” (a entrevista na íntegra com Rodrigo Azevedo pode ser lida neste post do nosso blog).

O trabalho dos influenciadores digitais em favor das marcas tem tudo para torná-las mais seguidas pelos usuários das redes sociais.

Conforme o estudo Papo Digital, apenas 49% dos entrevistados seguem, nas redes, as marcas que admiram ou pelas quais se interessam.

Embora esse índice seja bem maior do que o observado anteriormente, ainda resta muito para crescer. Ou seja, muito marketing de influência para acontecer.

Fale agora com nossa equipe!

Preencha o formulário abaixo e conheça mais nosso trabalho.